facebook

01/07/2020

Publicada norma sobre uso de aditivos alimentares

Resolução da Diretoria Colegiada, publicada nesta quarta-feira (1º/7), autorizou o uso de novos aditivos alimentares em diversas categorias de alimentos. Entenda.


freepikFoi publicada nesta quarta-feira (1º/7) a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 397/2020, que autoriza o uso de novos aditivos alimentares em diversas categorias de alimentos. A atualização das listas de aditivos é necessária por conta das constantes inovações tecnológicas e da evolução no conhecimento científico.  

A RDC 397/2020 define as substâncias autorizadas, suas respectivas funções e os limites máximos que podem ser adicionados à respectiva categoria de alimento. É importante ressaltar que as substâncias autorizadas tiveram sua segurança de uso e finalidade tecnológica demonstradas. Os pedidos de atualização das listas costumam ser solicitados pelas empresas, a fim de incorporar as novidades aos seus processos de produção. 

O que é um aditivo alimentar?

Aditivo alimentar é qualquer ingrediente adicionado a um alimento sem o propósito de nutrir e, sim, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a fabricação, o processamento, a preparação, o tratamento, a embalagem, o acondicionamento, a armazenagem, o transporte ou a manipulação do alimento. 

A necessidade tecnológica do uso de um aditivo é justificada sempre que proporcionar vantagens de natureza tecnológica, exceto quando essas vantagens possam ser obtidas por meio de processos de fabricação mais adequados ou a partir de precauções de ordem higiênica ou operacional. 

Antes de serem autorizados para uso, os aditivos são submetidos à avaliação toxicológica. Essas substâncias devem ser limitadas ao menor nível para alcançar o efeito desejado, de modo que sua ingestão não supere os valores de ingestão diária aceitável (IDA). 

É proibido o uso de um aditivo em alimentos quando houver evidências de que ele não é seguro para o consumo ou se interferir desfavoravelmente no valor nutritivo do alimento. Também é proibido o aditivo que tenha o propósito de encobrir falhas no processamento e/ou nas técnicas de manipulação, se for para mascarar uma alteração ou adulteração da matéria-prima ou do produto elaborado ou se induzir o consumidor a enganos. Ademais, o aditivo deve ter sido expressamente autorizado por legislação específica. 

Acesse a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 397/2020 e fique por dentro dos novos aditivos alimentares autorizados para uso. 

Fonte: Anvisa

NOTÍCIAS

28/07/2020

Como alimentar 10 bilhes de pessoas at 2050

Evidncias sugerem que a falta de alimentos no seja um problema global, e sim a ineficincia do sistema alimentar.

27/07/2020

Cadastro de estudo de resduos tem novo formulrio

Empresas devem utilizar o Sistema Solicita para preencher o formulrio de cadastro de estudo de resduos de agrotxicos.

27/07/2020

Por que precisamos de sistemas alimentares sustentveis no mundo ps-pandemia

A reconstruo das economias aps a crise da COVID-19 oferece uma oportunidade nica de transformar os sistemas alimentares globais e torn-los resistentes a crises futuras.

23/07/2020

Brasil poder exportar produtos termoprocessados de aves para o Egito

Autorizao ser para as plantas que j esto habilitadas para o mercado egpcio e que, atualmente, embarcam frango inteiro.

21/07/2020

Brasil tem mais de 4,7 mil marcas de cachaas e aguardentes

Os dados esto na publicao A Cachaa no Brasil: Dados de Registro de Cachaas e Aguardentes referente ao ano de 2019, lanada nesta tera-feira.

21/07/2020

Nutrio enteral: aprovada incluso de novos compostos

Alterao pontual da RDC 22/2015 eliminar barreiras desnecessrias incluso de novos compostos e de outras substncias considerados seguros.

17/07/2020

Mapa e IICA oferecem curso online gratuito sobre transporte legal de bovinos

O contedo trata os cuidados com os animais, veculos, planejamento da viagem at planos de contingncia.

15/07/2020

Norma busca agilizar o registro de fertilizantes orgnicos e de biofertilizantes

A IN tem o objetivo de adequar e melhorar o dispositivo legal para a concesso de registros de fertilizantes orgnicos e de biofertilizantes.