facebook

09/05/2019

Glifosato é tema de audiência na Câmara

Participantes reconheceram a segurança técnica do trabalho da Anvisa na reavaliação de agrotóxicos. 


agrotoxicoA reavaliação do glifosato foi tema de uma audiência pública na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (7/5). O debate sobre o agrotóxico aconteceu na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e foi motivado pelo trabalho feito pela Anvisa para rever os perfis de segurança do ingrediente.

Durante a audiência, o coordenador de Reavaliação de Agrotóxicos da Anvisa, Daniel Coradi, apresentou o trabalho feito pela Agência que culminou com a proposta de Consulta Pública 613/2019. Esta consulta traz a proposta da Anvisa para o uso do glifosato no Brasil, considerando os dados científicos atualmente existentes.

De acordo com o coordenador, os dados e estudos disponíveis hoje não comprovam que o glifosato causa câncer, mas o risco do produto requer mudanças no modo de uso, principalmente no campo.

Por isso, a consulta pública da Agência traz alterações principalmente no modo de uso do glifosato. De acordo com Coradi, as mudanças são fundamentais para que o produto seja utilizado em níveis seguros. “Seguindo as regras propostas pela Anvisa, garantimos que um nível de segurança está estabelecido”, explicou o coordenador.

Saiba mais sobre a consulta pública do glifosato.

Para a pesquisadora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Letícia Rodrigues, as agências internacionais têm adotado medidas semelhantes às propostas pelo Brasil, o que aponta para um consenso em relação ao nível de risco e segurança do agrotóxico. De acordo com ela, o produto não preenche hoje os requisitos legais no Brasil para justificar o banimento.

Também participou da audiência o professor e doutor Flávio Zambrone, que integra a Força Tarefa de Reavaliação do Glifosato. Ele destacou a consistência do trabalho feito pela Anvisa na reavaliação do glifosato e acredita que o esforço é suficiente para que a Agência possa tomar uma decisão segura em relação ao produto. Sobre o uso no campo, o representante da Confederação Nacional da Agricultura, Reginaldo Minaré, afirmou que a avaliação de agrotóxicos precisa ser tecnicamente embasada e que as determinações da Anvisa vão orientar a agricultura no país.

A audiência pública foi convocada pelo deputado Nilto Tatto (PT/SP).

Fonte: Anvisa