facebook

12/04/2018

Mapa lança cartilha sobre aproveitamento de resíduos da produção de bovinos de corte e leite

Publicação orienta o produtor de sistemas intensivos a reduzir emissão de gases de efeito estufa, gerar renda e diminuir gastos na produção.


cartilhaO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lança cartilha sobre o aproveitamento econômico dos resíduos bovinos de corte e leite com o objetivo de auxiliar o produtor a gerar renda a partir dos resíduos e diminuir os custos de produção, bem como reduzir os efeitos na atmosfera de gases como o metano.

O estudo promovido pelo Projeto “Pecuária de Baixa Emissão de Carbono: Geração de valor na produção intensiva de carne e leite”, como parte do Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC), coordenado pelo MAPA com apoio do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), identificou e selecionou as tecnologias de produção sustentáveis passíveis de serem implantadas nas condições de produção de bovinos de corte e leite em sistemas intensivos brasileiros.

A pesquisa contemplou as tecnologias de gestão racional da água e dos alimentos, implantação de biodigestores, geração de energia elétrica por meio do uso do biogás produzido pelos dejetos, compostagem mecanizada e também o sistema de compost barn (cama de serragem).

As atividades descritas no estudo priorizam o aproveitamento econômico dos resíduos e o consequente aumento de renda dos pecuaristas. O material também contém informações que estimulam o uso adequado do biofertilizante gerado pela atividade.

Atualmente, a agricultura, incluindo a pecuária, contribui com 14% das emissões globais de Gases de Efeito Estufa (GEE), sendo o terceiro maior setor responsável pela emissão desses gases. Do total de emissões antropogênicas de metano (CH4) e óxido nitroso (N2O), a pecuária contribui em termos globais com 35% e 65% dos respectivos gases, sendo que a América Latina ocupa a segunda posição na lista dos principais emissores de metano entérico, responsável por 23,9% do total, ficando atrás apenas da Ásia.

O material foi produzido por consultores que, durante o ano de 2017, mapearam as alternativas sustentáveis e economicamente viáveis de tratamento dos dejetos. As tecnologias são preconizadas pelo Plano ABC. Os técnicos percorreram os principais estados produtores de bovinos de leite e corte em sistemas intensivos, centros de pesquisas e propriedades modelos em tratamento de resíduos.

O conteúdo também apresenta uma análise de viabilidade econômica das tecnologias de tratamento de dejetos de bovinos mitigadoras de emissões de gases de efeito estufa. Os processos tecnológicos consistiram na geração de energia elétrica a partir do biogás produzido dos dejetos de bovinos tratados em biodigestores e na compostagem dos dejetos e produção de biofertilizantes. 

Mais informações à imprensa:
Tayara Beraldi
Assessoria de Imprensa
imprensa@bovinosabc.com.br
(11) 94378-6230

Fonte: MAPA

NOTÍCIAS

18/03/2019

Guia de elaboração de Plano APPCC - 1ª Parte

1ª Parte do guia traz o passo a passo para criação de um plano APPCC funcional e efetivo.

09/03/2019

ANUFOOD Brazil, versão nacional da Anuga, maior feira de alimentos do mundo, acontece em São Paulo

Feira de negócios exclusiva para o setor de alimentos e bebidas, que será realizada entre os dias 12 e 14 de março de 2019, das 10h às 19h, no São Paulo Expo, em São Paulo.

06/03/2019

Técnico administrativo: prorrogado prazo do concurso

Homologado em março de 2017, o concurso público com 78 vagas para o cargo de técnico administrativo foi prorrogado por dois anos.

04/03/2019

Alimentos: resultados de 2018 e prioridades para 2019

Em reunião com o setor regulado, a Gerência Geral de Alimentos apresentou seu relatório de gestão e os principais resultados alcançados.

04/03/2019

Certidão de venda livre: novo modelo já está em vigor

A mudança padroniza o documento e direciona a emissão para os órgãos competentes.

04/03/2019

Comitê Técnico de Programas de Autocontrole é instituído

Novo modelo de atuação das empresas deve vigorar em todas as cadeiras produtivas, defendeu a ministra Tereza Cristina durante evento no dia 21.

28/02/2019

Anvisa reavalia glifosato e descarta risco de câncer pelo consumo de alimentos

Mas admite possibilidade de problemas a produtores e ao meio rural em casos de aplicação indevida e vai abrir consulta pública para refazer regulamentação

27/02/2019

Aprovada consulta pública sobre glifosato

Resultado da reavaliação com novas regras para uso e aplicação do glifosato ficará disponível por 90 dias. Texto tem como base evidências científicas mais atuais.